Blog do Instituto Líderes do amanhã

Acompanhe as atualizações

Resenha – Por Que As Nações Fracassam

Resenha Crítica – Por Leonard Batista, Associado Alumni do Instituto Líderes do Amanhã

Daron Acemoglu, nascido em Istambul, Turquia, em 1967, e James A. Robinson, natural de Liverpool, Reino Unido, em 1960, são renomados economistas e professores da Universidade de Harvard. Acemoglu cresceu em uma família de acadêmicos e encontrou influências significativas em sua infância e juventude, inclusive através de seu pai, que era professor. Por outro lado, Robinson cresceu em uma família operária e experimentou de perto as disparidades econômicas. Essas experiências pessoais moldaram seus interesses acadêmicos. Ao longo de suas carreiras, Acemoglu e Robinson conduziram pesquisas em economia política, desenvolvimento e instituições, o que contribuiu para uma compreensão mais profunda das questões que envolvem o crescimento econômico e a prosperidade das nações. Essas experiências e interesses pessoais foram cruciais na formulação das ideias centrais apresentadas em “Por Que as Nações Fracassam”, em que argumentam que as instituições desempenham um papel fundamental na determinação do sucesso ou fracasso de uma nação e destacam a importância de instituições inclusivas para o desenvolvimento econômico e político.

“Por Que as Nações Fracassam” é uma obra profunda e esclarecedora que mergulha nas complexidades do desenvolvimento econômico e político das nações e destaca os fatores cruciais que moldam o destino das sociedades. Através de uma abordagem bem fundamentada, os autores oferecem uma visão penetrante sobre as origens do poder, da prosperidade e da pobreza.

Os autores sustentam que o cerne da disparidade entre as nações reside nas instituições que governam suas respectivas sociedades. Eles classificam essas instituições em dois tipos distintos: inclusivas e extrativistas. Instituições inclusivas são aquelas que buscam envolver uma ampla parcela da população nas decisões políticas e econômicas, promovendo a competição, a inovação e a igualdade de oportunidades. Por outro lado, instituições extrativistas concentram o poder e a riqueza nas mãos de uma elite, restringindo o acesso e a participação da maioria da população.

A análise dos autores se desdobra ao longo dos capítulos e expõe as complexas interações entre instituições, cultura, geografia e eventos históricos. Ao explorar a história de diversas nações, eles demonstram que o sucesso ou o fracasso de um país está intrinsecamente ligado à qualidade de suas instituições. O autoritarismo, a corrupção e a exploração de recursos naturais sem considerar o bem-estar geral são características de instituições extrativistas, que muitas vezes levam ao fracasso econômico e político.

Os autores fazem paralelos instrutivos com outras obras de geopolítica e economia, como “O Choque do Futuro”, de Alvin Toffler, ao salientar a importância da adaptabilidade das instituições para lidar com as mudanças rápidas do mundo contemporâneo. Enquanto Toffler foca na necessidade de adaptação à aceleração tecnológica, Acemoglu e Robinson destacam que instituições inclusivas são a chave para tal adaptação, uma vez que incentivam a inovação e a criatividade em um ambiente democrático.

Para ilustrar suas teorias, os autores examinam exemplos de países que alcançaram o sucesso e outros que estão atolados na pobreza. Nações como os Estados Unidos e a Suécia emergiram como casos exemplares de nações com instituições inclusivas, onde a prosperidade é uma consequência natural. Por outro lado, países como a Coreia do Norte e o Zimbábue são destacados como exemplos de instituições extrativistas que perpetuam a pobreza e o autoritarismo.

A mensagem central do livro é clara: instituições inclusivas são fundamentais para o desenvolvimento e a prosperidade de uma nação. O livro alerta sobre a importância de se criar instituições que permitam o acesso aos benefícios econômicos e políticos e, assim, promover a prosperidade de todos os indivíduos. É uma obra que nos desafia a repensar como as nações podem alcançar um futuro de sucesso e crescimento sustentável, destacando que a construção de instituições inclusivas é a chave para tal empreendimento. A obra é uma leitura indispensável para todos aqueles interessados em compreender as dinâmicas complexas que moldam o destino das nações e o papel crucial das instituições na determinação do sucesso ou fracasso de uma sociedade.

Autor

Leonard-de-Almeida-Batista

Leonard de Almeida Batista

Associado Alumni

Suzano

Últimos artigos e notícias

Ivan Takao Oikawa

20/02/2024

Tito Dias Kalinka

20/02/2024

Marina Parreiras Vieira Alves Rebouças

20/02/2024

Inscreva-se na Newsletter