Blog do Instituto Líderes do amanhã

Acompanhe as atualizações

Resenha – As Seis Lições

Resenha Crítica – Por Bruna Rezende, Associada Trainee do Instituto Líderes do Amanhã

Ludwig von Mises, nascido em 29 de setembro de 1881, destacou-se como um dos economistas mais influentes do século XX na antiga Áustria-Hungria. Reconhecido como uma figura proeminente da Escola Austríaca de Economia, Mises foi um fervoroso defensor do liberalismo econômico e das ideias capitalistas. Diante das perseguições Nazistas, em 1940, Mises se mudou para os Estados Unidos em busca de refúgio.

O livro “As Seis Lições”, organizado por sua esposa, Margit von Mises, reúne o conteúdo de seis palestras proferidas por Mises na Argentina em 1958. Cada capítulo deste livro apresenta a sua visão sobre temas cruciais abordados nas respectivas palestras, incluindo conceitos fundamentais como capitalismo, socialismo, intervencionismo, investimento estrangeiro, políticas e ideias. 

Por meio dessas lições, Mises apresenta sua visão sobre as dinâmicas econômicas e políticas, destaca a importância do sistema capitalista, alerta sobre os perigos do intervencionismo estatal e discute a relevância do investimento estrangeiro. Cada capítulo oferece uma rica análise fundamentada na sólida experiência e conhecimento do autor.

Na primeira lição, Ludwig von Mises aborda o surgimento do capitalismo, em que grupos de pessoas começaram a se organizar para estabelecer pequenos negócios, produzindo bens mais acessíveis capazes de atender às necessidades de todos. Mises enfatiza que, no mercado, quem manda são os clientes, e é a partir de seus desejos que novos negócios são criados. Nesse contexto, o ponto crucial é a notável elevação do padrão de vida da sociedade que adotou esse sistema. Mises argumenta que a prosperidade resultante é uma consequência da capacidade do mercado em satisfazer eficientemente as demandas dos consumidores, o que evidencia os benefícios trazidos pelo funcionamento do capitalismo.

A segunda lição trata sobre o Socialismo, regime econômico oposto ao discutido no primeiro capítulo. Neste ponto, o autor destaca os perigos inerentes a um sistema em que o governo centraliza o poder decisório, mesmo que inicialmente em áreas limitadas. Apesar de alguns argumentarem que outras liberdades individuais poderiam ser preservadas mesmo sem a liberdade econômica, Mises sustenta a ideia de que é impossível separar esses elementos, argumentando que uma afeta inevitavelmente a outra. Além disso, ele deixa claro como a liberdade econômica desempenhou um papel crucial no declínio da sociedade de status, na qual os indivíduos estavam vinculados às condições herdadas de seus pais, sem opção real de mudança. Em síntese, o sistema socialista limita a liberdade fundamental de escolha de cada indivíduo, transferindo todo o poder para o governo.

Uma ação bem característica desse tipo de sistema é o intervencionismo, assunto tratado na terceira lição. Mises define essa prática como a ação do governo de ultrapassar sua função de preservar a ordem e começar a interferir em áreas que não deveriam ser de sua competência. O exemplo mencionado pelo autor é o tabelamento de preços e, por meio de análises, Mises evidencia as falhas ligadas a esse método. Afirma que ele não apenas restringe a liberdade de consumo dos indivíduos, mas também limita a capacidade do mercado de autorregular preços de produtos.

Na quarta lição, em que Mises fala sobre inflação, ele define o motivo do governo utilizar esse sistema como forma de obter recursos para implementação de projetos. Em vez de recorrerem à tributação, optam pela impressão de papel moeda. Contudo, a consequência desse procedimento manifesta-se na elevação dos preços e na queda do poder de compra, sendo parte da população prejudicada. A longo prazo, a adoção dessa política pode desencadear um colapso econômico e culminar na desvalorização completa da moeda.

Já na quinta lição, o assunto é investimento estrangeiro, uma das principais práticas, de acordo com o autor, que pode contribuir para o desenvolvimento de uma nação. O fato de alguns países terem começado a investir capital muito cedo e apostado nessa prática faz com que eles fiquem muito à frente economicamente de outros que estimulam as ideias socialistas e intervencionistas. Com base em dados, Mises demonstra claramente a visão de que o livre mercado contribui para o desenvolvimento de um país e consequentemente para a elevação do padrão de vida da população que nele habita.

Ao concluir, Mises aborda em sua última palestra o tema “Política e Ideias”, evidenciando novamente os potenciais problemas decorrentes da ascensão de ideologias que ele considera erradas (como socialistas e intervencionistas). Nesse sentido, o autor sustenta a visão de que é necessário expor e lutar para combater as más ideias, pois só assim ocorrerá uma significativa evolução da nação.

Autor

Bruna Rezende

Bruna Rezende de Castro

Associada Trainee

Padaria Monte Libano

Últimos artigos e notícias

André Hemerly Paris

17/06/2024

Marina Zon Balbino

10/06/2024

Marina Zon Balbino

10/06/2024

Mateus Vitoria Oliveira

10/06/2024

Inscreva-se na Newsletter