Blog do Instituto Líderes do amanhã

Acompanhe as atualizações

Resenha – As Seis Lições

Resenha Crítica – Por Daniel Couto Bergantini, Associado Trainee do Instituto Líderes do Amanhã

A obra “As Seis Lições”, de Ludwig von Mises, publicada em 1959, consiste em uma transcrição de uma série de palestras realizadas na Universidade de Buenos Aires. Esse livro destaca-se como uma introdução aos conceitos fundamentais da economia política, oferecendo uma explicação clara e acessível de princípios complexos sem comprometer a qualidade da mensagem transmitida.

No primeiro capítulo, Mises explora a dicotomia entre “Rei Governante” e “Rei Empresário”. Ele destaca as diferenças cruciais de incentivos no sistema capitalista, em que a soberania não reside na autoridade política, como no caso do Socialismo, mas sim na eficiência em atender às demandas dos consumidores.

Enquanto o “Rei Governante” exerce controle por meio da autoridade política, o “Rei Empresário” prospera por meio do serviço voluntário aos consumidores. Nessa segunda representação, é o poder de escolha desses consumidores que determina o sucesso do empreendedor. Mises enfatiza como o sistema capitalista se baseia na liberdade de escolha e na habilidade de satisfazer as necessidades e desejos do público, transformando a atividade empreendedora em um ato de serviço voluntário e eficaz.

A transição para o capítulo sobre socialismo e intervencionismo revela uma clara demarcação entre esses sistemas. Mises diferencia o socialismo, caracterizado pela propriedade estatal dos meios de produção, do intervencionismo, que preserva a propriedade privada, mas sujeita a economia a intervenções governamentais. Aqui, é pertinente relacionar a obra de Mises à teoria do “Caminho da Servidão” de Hayek. Mises compartilha com Hayek a visão de que, ao aceitar gradualmente o intervencionismo, uma sociedade caminha em direção ao socialismo. Thomas Sowell encapsula essa ideia com maestria ao afirmar:

“A liberdade raramente é perdida abrupta e abertamente. É mais provável que seja corroída aos poucos, fragmento por fragmento, entre promessas cintilantes e expressões de nobres ideais.” – Thomas Sowell

No tocante à inflação, Mises destaca a estabilidade intrínseca proporcionada pelo padrão ouro, contrastando-a com os perigos associados a políticas monetárias equivocadas. No decorrer da obra, ele adverte consistentemente contra a manipulação irresponsável da moeda, recorrendo a diversos exemplos históricos para ilustrar as graves consequências desse tipo de intervenção.

No capítulo dedicado ao investimento estrangeiro, o autor destaca a importância desse fenômeno para o crescimento e desenvolvimento de uma nação, ressaltando como o investimento estrangeiro injeta recursos, tecnologia e expertise, impulsionando setores-chave da economia. Sua análise vai além, ilustrando a relevância do compromisso com políticas de não estatização. Isso é exemplificado pela fala de um líder político que, ao prometer não estatizar empresas estrangeiras por uma década, revela um equívoco ao considerar essa medida como um incentivo ao investimento estrangeiro, visto que é percebida como uma solução temporária e não como um compromisso permanente com a livre iniciativa. Outro ponto a ser destacado são os prazos de retorno dos investimentos, especialmente quando se trata de infraestrutura, cujo retorno é a longo prazo e o investimento alto. Esses aspectos reforçam a importância da estabilidade e da segurança jurídica para atrair investimentos externos, criando um ambiente propício ao crescimento econômico.

Aprofundando-se na temática, Mises explora a intrínseca relação entre política e ideias. Ele salienta o papel determinante das ideias na configuração da política e na influência direta sobre as decisões econômicas e sociais. Para Mises, a força propulsora da transformação reside na qualidade e na disseminação de ideias, robustas e fundamentadas, oferecendo clareza e orientação diante da complexidade política. Ele ressalta que a verdadeira arena da mudança está no domínio das ideias, onde conceitos econômicos e políticos são forjados e moldados.

Em resumo, “As Seis Lições” não apenas fornece insights valiosos sobre os fundamentos da política e economia, mas também instiga o leitor a questionar, refletir e buscar um entendimento mais profundo dessas questões, promovendo assim uma sociedade mais informada, crítica e comprometida com os princípios fundamentais da liberdade e do livre mercado.

Autor

Daniel Couto

Daniel Couto Bergantini

Associado Trainee

Golden Valley Consulting ltda

Últimos artigos e notícias

Raphael Ribeiro dos Santos

15/07/2024

Alan Mori Brito Soares

15/07/2024

Raphael Ribeiro dos Santos

15/07/2024

Raphael Ribeiro dos Santos

15/07/2024

Raphael Ribeiro dos Santos

15/07/2024

Inscreva-se na Newsletter