Blog do Instituto Líderes do amanhã

Acompanhe as atualizações

Resenha – A Marca da Vitória

Resenha Crítica – Por Thiago Ferreira Garcia, Associado II do Instituto Líderes do Amanhã

No livro A marca da vitória, Phil Knight conta a sua trajetória de vida tendo a Nike, empresa na qual é co-fundador, como tema central. Trata-se de uma autobiografia rica em detalhes que trazem os desafios, riscos, triunfos e tacadas de sorte que levaram a companhia ao posto de maior vendedora de materiais esportivos do mundo.

Phil Knight, também conhecido como Buck, nasceu em Portland em 1938. Formou-se em contabilidade na Universidade de Oregon e cursou mestrado de administração de empresas na Universidade de Stanford. Após concluir seus estudos, em 1962, partiu para uma viagem ao redor do mundo que trariam muitos frutos para o seu futuro.

Quando esteve no Japão, Knight descobriu os tênis de corrida da marca Tiger, fabricados pela companhia Onitsuka. Impressionado com a qualidade e o baixo custo dos calçados, entrou em contato com o Sr. Onitsuka, que concordou em se reunir com ele. Ao final do encontro, Knight havia garantido os direitos de distribuição dos calçados para o oeste dos Estados Unidos. Começava assim a sua vida empreendedora.

Assim que as primeiras amostras de pares Tiger chegaram aos Estados Unidos, Knight enviou para o seu antigo treinador de corrida da época de faculdade, Sr. Bowerman. O treinador gostou tanto dos tênis que se interessou em ser sócio no negócio de importação e revenda em solo norte-americano. Nascia assim a Blue Ribbon.

Nos primeiros anos de companhia, Knight fazia praticamente tudo por conta própria, encomendas, vendas e prospecção de novos clientes. O fato de ter sido um atleta universitário de corrida e de ter um treinador de atletismo como sócio, permitiu que as vendas ocorressem de forma orgânica dentro do ainda pequeno mundo dos praticantes de corrida.

O primeiro funcionário de tempo integral da Blue Ribbon foi Jeff Johnson, que procurou Phil Knight dizendo que havia gostado muito do tênis e que algumas pessoas queriam saber onde poderiam comprar pares semelhantes. Buck ofereceu a ele uma oportunidade como vendedor e Johnson se demitiu do seu emprego para se dedicar em tempo integral à Blue Ribbon, onde passaria muitas décadas.

Aliás, ao longo da sua jornada à frente da companhia, Knight foi se cercando de pessoas dedicadas e encantadas por fazer algo grande, que realmente fizesse a diferença no mundo. Nesse contexto, ele expõem em várias passagens do livro que o dinheiro nunca foi o objetivo final dele e de nenhum integrante da alta cúpula da Blue Ribbon, que mais tarde se tornaria a Nike.

Uma característica observada na formação e estabelecimento da companhia foi o foco no crescimento, aliado a alta alavancagem. A companhia praticamente dobrava o seu faturamento ano após anos nos primeiros anos de existência, o que se traduziu em grandes problemas de fluxo de caixa.

Apesar de inúmeros embates com bancos para o fornecimento de crédito a uma empresa que sempre estava com o caixa zerado, Phil Knight sabia que para fazer frente a grandes vendedoras de calçados esportivos, a Blue Ribbon precisava se expandir rapidamente.

A alta alavancagem também foi um dos motivos para a cisão com a Onitsuka. A companhia japonesa não acreditava que diante da falta de caixa e estrutura precária, a Blue Ribbon poderia ser a representante exclusiva da marca Tiger nos Estados Unidos por muito tempo. Quando o rompimento com os japoneses finalmente chegou, Knight já tinha organizado uma produção própria incipiente, tratava-se de calçados da marca Nike.

A partir desse momento, Buck e seu time tiveram mais liberdade para trazer novas tecnologias aos calçados. O livro traz vários experimentos e avanços inusitados estudados e propostos por Bowerman e Johnson, que transformaram a indústria mundial de calçados. Além dos dois, Phil Knight foi contratando peças importantes para sua equipe ao longo dos anos, que o acompanhariam nas décadas seguintes.  Destaque para Bob Woodell, Del Hayes e Robert Strasser.

Dentre os eventos críticos enfrentados por Buck na trajetória de crescimento da Nike, destaque para a disputa judicial com a Onitsuka após o rompimento do contrato de revenda dos tênis Tiger, para o encerramento da linha de crédito do Banco da Califórnia e para uma cobrança de tributos alfandegários não recolhidos que somavam US$ 25 milhões. 

Todos esses eventos poderiam ter significado o fim da Nike, mas a determinação de Phil Knight e sua equipe em manter o negócio de pé foi essencial para o sucesso. Esses acontecimentos serviram para estreitar o relacionamento de Buck com os seus liderados, eles passaram a ser reconhecer como membros de uma família.

Por fim, a obra traz lições importantes sobre empreendedorismo, resiliência, ousadia e sorte. Com uma visão arrojada e a crença no poder transformador do esporte, Buck e seu time criaram uma marca e uma cultura que mudariam os parâmetros de desempenho e superação para sempre. Eles expandiram suas atenções para não atletas, disseminando a prática esportiva para grande parte da população.

Autor

Thiago-Ferreira-Garcia

Thiago Ferreira Garcia

Associado II

Grupo 2127

Últimos artigos e notícias

André Hemerly Paris

17/06/2024

Marina Zon Balbino

10/06/2024

Marina Zon Balbino

10/06/2024

Mateus Vitoria Oliveira

10/06/2024

Inscreva-se na Newsletter