Blog do Instituto Líderes do amanhã

Acompanhe as atualizações

Viva La Libertad…E a Escola Austríaca

Artigo de Opinião – Por Tito Dias Kalinka, Associado II do Instituto Líderes do Amanhã

Ludwig Von Mises, Friedrich Hayek, Murray Rothbard e, por fim, Carl Menger.

Com a recente eleição de Javier Milei para ser o presidente da Argentina nos próximos 4 anos, as ideias libertárias ganharam destaque na América Latina nunca antes visto. O que esse sujeito de cabelo bagunçado, o “peluca”, defende em relação aos ciclos econômicos? Ele acredita em menos estado baseado em quê? Milei é um grande defensor das ideias liberais que tiveram como pilar da Escola Austríaca de Economia.

Baseada em conceitos de livre mercado e não intervenção, a escola é berço dos economistas liberais. Acredita-se que o mercado e a moeda devem ser livres de intervenções estatais, que não correspondem ao verdadeiro desejo de troca voluntária entre indivíduos. A inflação, tão conhecida e temida por nós brasileiros, não nasce do simples aumento dos preços pelos empresários. Na verdade, é fruto de expansão monetária praticada por governos intervencionistas, corroendo o poder de compra da moeda e elevando o preço nominal dos bens e serviços.

Mises talvez seja o mais conhecido dentre os nomes citados no início do artigo, mas o precursor das ideias da escola é, sem dúvidas, Carl Menger (1840 – 1921). Apesar das teses da escola terem nascido na Escolástica de Salamanca, é com Menger que as ideias são solidificadas. No ano de 1871, o livro Princípios de Economia Política foi publicado e traz, pela primeira vez, a Teoria do Valor Subjetivo. Para Menger (1988, p.73): “ valor é a importância que determinados bens concretos adquirem para nós, pelo fato de estarmos conscientes de que só poderemos atender às nossas necessidades na medida em que dispusermos deles”.

Em um primeiro momento podemos dizer que isso é uma visão utilitarista. Entretanto, ele distingue valor de utilidade ao abordar bens não econômicos e bens econômicos. O atendimento das necessidades humanas não depende de quantidades concretas do primeiro, mas de quantidades concretas do segundo. Logo, o primeiro até pode ser útil, mas o segundo, além da utilidade, também possui a importância do valor. Dessa forma, cada indivíduo, ao possuir uma mente individual pensante, percebe valores a determinados bens diferentes em relação às outras pessoas. Isto vale, inclusive, para a relação laboral. A hora de trabalho de um profissional pode ser mais ou menos valorosa para cada indivíduo disposto a contratá-lo. Por estas razões, uma economia planificada e centralizada é altamente ineficaz em uma comunidade que busca a prosperidade e a liberdade de escolhas.

A Escola Austríaca é uma ótima opção para a América do Sul avançar rumo às ideias da liberdade e Milei possui uma grande oportunidade de colocá-las em prática em uma nação combalida por intervencionismos.

Autor

Tito-Dias-Kalinka

Tito Dias Kalinka

Associado II

Grupo 2127

Últimos artigos e notícias

Juliana Maia Bravo Klotz

09/04/2024

Marina Cunha Ferreira

03/04/2024

André Hemerly Paris

03/04/2024

Inscreva-se na Newsletter